Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017 - 02:07:41

O que você achou deste site?

Bom
Ruim
Ótimo

585482

07/07/2012 - 17:50:00

SOBRE O DIVÓRCIO

A Igreja Católica Apostólica Brasileira admite o divórcio, dentro do Evangelho.

É S. Mateus quem vos fala, no Cap. V. 27-32: “Sabeis que aos antigos foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: Quem atentar numa mulher com cobiça, esse já com ela adultera em seu coração. Se pois, te escandaliza teu olho direito arranca-o e deita-o fora, que mais te vale perder um membro que ir para o inferno, o corpo todo. Dito foi mais: quem deixar a sua mulher, dê-lhe carta de desquite. Mas Eu vos digo: Aquele que repudiar a mulher, a não ser por adultério, a faz ser adultera, e quem toma a repudiada, adúltera”.

É ainda, S. Matheus, no Cap. XIC, 3-9, quem nos diz: Será lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer coisa? Não lestes, respondeu-lhes Jesus, que o Criador do Homem fez primeiro um homem e uma mulher e disse: por isso, deixará o homem o pai, a mãe, unir-se-á à sua mulher, e dois serão um em uma só carne? Assim que, já não são dois de não uma só carne: o que pois, Deus ajuntou, não o aparte o homem. Como, pois instaram eles, manda Moisés que se dê à mulher carta de desquite, e mande-se embora? Respondeu Jesus: Pela muita dureza de vossos corações, permitiu-vos Moisés repudiar a mulher; no princípio, porém, assim não foi. Digo-vos eu agora: quem, a não ser adultério, despede sua mulher e toma outra, adultera; e quem desposa a despedida, adultera também”.

Esta é a doutrina evangélica, na sua pureza.

No começo do cristianismo, nesse momento de transição, a mulher era escravizada, em todos os povos, e as leis dos Judeus, dos Romanos, dos Bárbaros, admitiam, todas, o repúdio ou divórcio.

Como pensava o cristianismo? Os padres da Igreja, ou doutores da época, não estavam de acordo com a indissolubilidade do casamento.

Uns dizem que o Novo Testamento, não era contrário à lei de Moisés, que permitia o divórcio, e que o próprio Jesus tinha admitido o divórcio, pelo menos em caso de adultério da mulher.

Tertuliano, S. Ambrósio e S. Epiphanio, eram dessa opinião e admitiam o divórcio. Por outro lado, São Jerônimo, Crysóstomo e principalmente S. Agostinho, proclamavam a indissolubilidade do vínculo matrimonial.

No ano 325, o concílio de Nicea, composto de 318 padres, não se levantou contra o divórcio. Foi precisamente nessa época, que Fabíola repudiou seu marido culpado de adultério, e convolou em segundas núpcias. Ela tinha a seu favor aquelas palavras: “É melhor se casar do que arder”. E Fabíola vive com auréola de santidade.

O divórcio é uma necessidade, para moralização da família brasileira. Dá-se com o divórcio, o que se passa com o celibato. Por falta do divórcio há o desquite, que é a aprovação legal da prostituição. Por falta do casamento dos padres, vivem eles em concubinato. 



Fonte: Dom Carlos Duarte Costa in: Manifesto à Nação




CLIQUE AQUI

VELAS JÁ ACENDIDAS: 1895
Quaresma 2017
Casamento Felipe e Danielle
JUBILEU DOS 70 ANOS DA ICAB
Missa no Monte das Bem aventuranças na Galiléia
Hino da Vitória
3º domingo da Quaresma
2º Domingo da Quaresma
Resumo da Tipificação de Jesus na Bíblia de Gênesis a Apocal...
Exorcismo de São Miguel Arcanjo 2016. (9 fotos)
CASAMENTOS NA PARÓQUIA E EM CLUBES (57 fotos)
Missas das Crianças (4 fotos)
Festa de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa (36 fotos)
PEREGRINAÇÃO TERRA SANTA (22 fotos)
MISSA DE NOSSA SENHORA DA MEDALHA MILAGROSA (4 fotos)
Homenagens da Paróquia (1 fotos)
CELEBRAÇÕES NATALINAS EM COMUNIDADES MISSIONÁRIAS - DISTRIBU... (12 fotos)
ESPAÇO MUSICAL
Página Inicial | Testemunhos | Quem Somos | Nossa Sede | Nossa História | Padroeira | Localização
Missas | Novena | Batismo | Crisma | Eucaristia | Casamento | Mensagem da Semana | Santo do Dia
Agenda | Informativos | Galeria de Fotos | Vídeos | Notícias | Fale Conosco | E-mail

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA MEDALHA MILAGROSA
Endereço: Sgas 910 Conjunto B Bloco C, 30 - Asa Sul - Brasília /DF - (61)3443-8992-9692-3524

© Web Conexão Informática Ltda - Todos os direitos reservados